O Natal, invenção do Amor! …

tres-reis-magos

Atravessa os séculos – este é já o vigésimo primeiro – a notícia espantosa, a todos os títulos surpreendente, do Natal do Deus Menino que, de formas muito diferentes, tem inspirado o mundo inteiro!

Começou discreta e humildemente numa gruta de Belém, mas o seu eco chegou ao nosso tempo e continua a marcar decisivamente a vida e projectos de muitos, sejam eles de ordem material ou espiritual, com reflexo nas mais diversas áreas da actividade humana.

A história destes dois mil anos testemunha uma intensa criatividade, na tentativa de contar a novidade do Natal do Senhor e captar o seu rasto luminoso, cheio de beleza e ternura, adoração e alegria, paz e amor!

E não é caso para menos, pois nos encontramos perante o Filho de uma jovem judia que, na sua condição humana, marcada pela fragilidade, nos revelou o eterno e sublime mistério de Deus! Aquele que o universo não podia conter, quis habitar a nossa terra e acampar no meio de nós!

Tal notícia, não só convoca homens e mulheres de boa vontade, em todos os tempos e lugares, para um estudo atento e sempre renovado do significado da sua Presença entre nós, como oferece aos que o acolhem na fé uma fonte permanente de renovação pessoal e comunitária!

Esta experiência de proximidade conforta-nos e enche-nos de esperança. A visita do Deus Menino, para além de cumprir e ultrapassar todas as promessas feitas ao Povo de Israel, é garantia de um futuro absolutamente novo, que inclui a participação humana, mas que terá, nada menos do que a dimensão da criatividade do amor de Deus, que começou a manifestar-se na concepção e nascimento do Filho de Maria e atingiu a sua máxima revelação no escândalo da paixão, morte e ressurreição do Filho de Deus!

Hoje, no entanto, Ele continua a visitar-nos naquele que está ao nosso lado e precisa da nossa ajuda; no que sofre ou está doente e precisa do nosso apoio; no que perdeu a esperança ou vive só e necessita da nossa presença amiga!…

Inspirados no mistério de um Deus que gosta e quer estar com os filhos dos homens, façamo-nos também nós próximos uns dos outros para que o amor de Deus, que foi derramado pelo Espírito Santo em nossos corações no dia do nosso baptismo, nos ensine a viver este Tempo de Natal e todos os dias da nossa vida.

A todos, apresento votos de Santo Natal e Feliz Ano Novo!

P. Armindo Janeiro
Presidente da Direcção

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *