HINO

Um chamamento a ser Igreja numa sociedade plural em construção.

Tempo de memória: a primeira estrofe evoca o momento da entrada para o seminário, feito de coisas muito simples e cheias de ternura.

Um tempo de memória: recordar. Um tempo de profecia: ir ceifar para a vinha do Senhor, é este o sentido do refrão.

Os tempos da juventude, a saída do seminário e a descoberta dos desafios encontrados ao entrar na idade adulta é a alusão feita na segunda estrofe.

O “hoje” da história, os compromissos sociais que o cristão encontra na sociedade, onde a sua presença é imprescindível, é a temática da terceira estrofe. Há uma experiência humana muito rica, um capital de vida interior já provado e uma atitude capaz de escutar a Igreja, nossa Mãe.

Na última estrofe é feita a alusão ao Seminário que hoje continua a ser uma “casa comum”, privilegiado para “plantar e regar” a vocação (discernimento e acompanhamento), onde os novos jovens irão preparar-se para contagiar o coração de Deus, no século em que vivemos.

 

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *