Ecos da Magna 2014 da UNIASES…

MAGNA 2014 - FOTO grupo (1024x598)Uma vez mais, e o ano de 2014 não fugiu à regra pese embora os altos e baixos por que a Associação dos Antigos Alunos do Espírito Santo (ASES) tem passado, o Domingo da Santíssima Trindade (15 de Junho) constituiu uma jornada de afirmação e de dedicação de todos quantos se dignaram comparecer a este ato solene de Assembleia Geral, dita MAGNA, este ano com caráter eleitoral dos seus órgãos associativos. Foi bastante concorrida, mas mais poderiam ter sido os participantes.

Com a invocação do divino Espírito Santo, como era costume nos bons velhos tempos, pelo P. Manuel Martins, assistente e representante da Congregação junto dos ASES, desenrolar-se-iam, depois, os trâmites traçados na convocatória e aqui chamados propositadamente para esta Assembleia, conduzida pelo Presidente da Mesa da AG, Timóteo Moreira.

Por unanimidade, embora dispensada a sua leitura, foi aprovada a ata da MAGNA de 2013, seguindo-se os pontos que versavam sobre o estado das finanças associativas, onde pontificou o Francisco (Cunha Pinto) que se saiu airosamente da contenda, apresentando um saldo positivo no decorrer do exercício, tendo o Conselho Fiscal manifestado o seu pleno acordo, daí que à sua aprovação foi um ápice. O Tesoureiro agradeceu a todos a magnífica colaboração mas capaz de ser ainda maior se mais antigos alunos se comprometessem seriamente no cumprimento das suas obrigações de modo a facilitar a Direção na realização de algumas tarefas da UNIASES de cariz mais material e que se traduzem em auxílio financeiro a associados e a obras sociais e caritativas da Congregação, tais como: Bolsas de Estudo, apoio ao CEPAC e outras que estão a seu cargo ou por ela impulsionadas (Centro Social e Seminário Espiritano da Praia, em Cabo Verde, …).

Os membros dos corpos administrativos da UNIASES, que nesse dia acabavam seu mandato, foram reconduzidos, eleitos por unanimidade, para novo biénio (2014/2016) no comando da Associação. Poderá isto traduzir-se no contentamento generalizado nos modos de atuação e condução na/pela atual Direção que manifestou expressamente a sua mágoa por não aparecer sangue jovem nos destinos da Associação e de gáudio, ao mesmo tempo, por se sentir apoiada no/pelo que vem sendo feito por sua iniciativa em ordem à prossecução dos seus objetivos.

Foi aprovado o Plano/Programa de Atividades para o ano de 2014/2015 onde ressalta um compromisso de representação no II Fórum da UASP (União das Associações de Antigos Alunos dos Seminários Portugueses) a decorrer em Braga nos dias 13 e 14 de Setembro próximo que irá evocar o Concílio Vaticano II, em comemoração do seu cinquentenário. Outras atividades, tais como uma Sardinhada na Costa Poveira ou um Encontro na Beira Interior, continuam indefinidas na presente época por manifesta pouca adesão, tenso sido alertada a sua promoção e difusão para o ano seguinte.

O tempo era de Feira do Livro que, em Lisboa e no Porto, neste dia, encerravam o evento ‘literário’. A AG não fugiu à regra e ao tempo. Foram apresentados três livros; dois de antigos alunos, um – “Em Busca do Tempo Vivido”, – na continuação e do mesmo autor de “Levados por um Sonho” – em que António Luís da Costa, coligiu testemunhos respeitantes ao tempo de seminário ou já após a saída; outro – “Hino à Mulher” – em verso e que o seu autor Manuel António Pousa canta nas suas diversas facetas e funções, merecendo a ‘Mãe’, honras de abertura. O sempre jovem P. Zé Maria de Sousa, do alto dos seus 94 anos de idade, apresentou-nos o “PENSAR”, livro/sebenta dos tempos em que foi professor da disciplina de Filosofia quer ad intra (no seminário) quer ad dextra (fora), um livro que passando pelos filósofos gregos até aos do hodierno nos ajuda a compreender para refletir nos problemas que angustiaram a humanidade e daí o título de PENSAR.

Umas mais do que outras, mas no mínimo aceitável foi a aquisição das obras apresentadas.

Por proposta da Direção foi aprovada, com recurso ao parco Fundo de Solidariedade existente, a concessão de um auxílio a um antigo aluno deveras necessitado e a quem as contingências da vida atiraram para uma situação deveras deprimente.

O P. Manuel Martins referiria o Encontro de Formadores Lusófonos e Hispanófonos a decorrer no CESM – Silva – no mês de Julho e a autonomia de Cabo Verde, como Província Espiritana, sendo desligada da Província Portuguesa, tal como acontecera já com a Angola.

Encerrada a sessão seguiu-se a Celebração Eucarística Dominical, presidida pelo Revdº P. Provincial (Tony Neves) e coadjuvado pelo P. Superior do Fraião (Adélio Fonte), pelo P. Zé Maria de Sousa e pelo P. João Batista Siva Gomes (Godim 1945 e pároco de Refoios do Lima).

Depois de um ótimo almoço, antecedido de excelente aperitivo, a jornada de alegria, de camaradagem e sã amizade chegaria a seu termo na esperança de um reencontro no próximo ano.

Ribeiro de Melo

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *