UASP: Legal e a mexer!

UNASP_LogNo passado dia 4 de Julho foi emitido o “Certificado de Admissibilidade” da UASP – União das Associações dos Antigos Alunos dos Seminários Portugueses, pelo qual obteve reconhecimento civil. A esta data importante juntam-se outras duas, decisivas neste processo e na vida da UASP: a da sua constituição, em Assembleia Geral, no dia 17/09/2011, e a da sua erecção canónica, pela Conferência Episcopal, no dia 23/10/2012. Caso para dizer: três anos de existência, um grande passo por ano!
Agora a UASP tem existência legal, canónica e civil, de facto e de direito. Mas o mais importante é que tem existência real, tem a fogosidade própria da juventude, tem força e dinamismo e por isso continua a mexer.

Directamente, as Associações de antigos alunos dos seminários portugueses filiadas na UASP e, indirectamente, todos os antigos alunos que são explícita ou implicitamente reconhecidos à instituição que certamente os projectou para a vida, o seu Seminário, devem regozijar-se com este desfecho feliz para uma Instituição que pretende reforçar laços e ajudar a frutificar e fortificar as sementes que um dia foram lançadas para a construção de homens e de uma sociedade melhor. Eles estão envolvidos neste espírito e muitos trabalham, por todo o país, para fazerem este dinamismo que fará crescer a própria UASP.

Neste momento, duas grandes actividades se estão a desenhar para um futuro próximo, elas próprias geradoras de outras actividades e realizações de âmbito nacional. A saber:

1. Projecto “Por mares dantes navegados” – É nome de uma nova proposta da UASP, sob a seguinte motivação: os nossos descobridores partiram há 500 anos para dar novos mundos ao mundo e no topo das suas motivações estavam também as missionárias. Aproveitámos e ajustámos a citação de Camões “Por mares nunca dantes navegados”, e, dentro do espírito do Ano da Fé, vamos dar corpo a um espaço de diálogo cultural e partilha de vivências no mundo lusófono, para onde foram enviados muitos dos missionários formados nos nossos seminários, sobretudo religiosos. Por isso, em Fevereiro de 2014, vamos rumar a Cabo Verde, visitaremos 3 ilhas (Santiago, São Vicente e Santo Antão), contactaremos com as gentes e comunidades cristãs, locais de cultura e desenvolvimento social. Tudo está a planear-se a bom ritmo e já há interessados em embarcar nesta aventura!

Esta actividade central gera uma série de outras a nível nacional. Com o propósito de levar alguma coisa de nosso, sobretudo a nossa solidariedade; estamos a criar ideias para angariar alguns fundos que entregaremos integralmente às duas dioceses de Cabo Verde, sobretudo para ajudar às despesas com a formação dos seus seminaristas em Portugal.

Com esse desiderato, estão a preparar-se, entre outras actividades, a realização de concertos em diversas partes do país cujos proveitos reverterão para esta causa. Neste momento, estão já agendados concertos em Lamego, em Vila Nova de Famalicão e Leiria. E estão ainda para agendar concertos em Guimarães e Braga, seguindo-se outras actividades que serão publicitadas no sítio da UASP.

2. Fórum “Olhares sobre o IIº Concílio do Vaticano” a realizar em Braga de 20 a 21 de Setembro de 2014. Com o contributo de peritos e gente comum, vamos reflectir e escutar testemunhos sobre este acontecimento que há 50 anos marca profundamente a igreja e a sociedade civil, bem como as relações da Igreja Católica com as outras Igrejas, Comunidades cristãs e Religiões.

Apelamos à participação de todos, quer nas actividades propostas, quer na criatividade, sugerindo ideias para levar por diante e com êxito aquilo a que nos propomos, bem como novas ideias das quais a UASP necessita, que acarinha e desde já agradece.

Luís Matias

 

 

4 thoughts on “UASP: Legal e a mexer!

  1. jorge dias
    Wednesday October 2nd, 2013 at 10:48 PM

    Olá, eu sou Jorge Dias. Estive treze anos nos Carmelitas e saí em 1968 quando a onda do Vaticano II foi travada. Junto dos meus consócios da aaacarmelitas fiz algumas observações sobre a ausência de objectivos da UASP em relação aos ministérios da Igreja. Muitos e diversíssimos são os (serviços) mininistérios onde com relevância antigos alunos dos Seminários se poderiam integrar podendo no máximo até chegar ao sub e diaconado. Nenhuma instituição se justifica sem objectivos a atingir e avaliações sobre a execução do projecto em função do objectivo. Instituição para passar o tempo é pouco para gente que pode dar muito mais… Operacional que sou e integrado profundamente no ministério do canto na liturgia da Igreja sinto pena se não derem o passo em frente: organizarem-se para melhor se integrarem nos serviços das comunidades cristã da terras onde residem. Um abraço, jolrge dias

    1. jorge dias
      Wednesday October 2nd, 2013 at 10:54 PM

      O logotipo estilizado está demasiado próximo da cruz suástica. Não tendo nada a ver não a deveria sugerir. Os cristãos seguem Jesus ressuscitado e nenhuma espécie de cruz. jorge dias

  2. Francisco Fernandes Marins DR
    Wednesday September 25th, 2013 at 11:35 AM

    Fiquei muito contente com os êxitos obtidos pela nossa Associação.
    Graças a DEUS é um grande enriquecimento para o nosso PORTUGAL, pois todos quantos passaram pelos Seminário são pessoas de grande formação e é pena que as Autoridades não levem isso em conta.
    Frequentei o Seminário de Bragança até ao 3º ano de Teologia e tenho pena que at,e agora não tena sido formalizada a “Associação dos Antigos Alunos do Seminário, embora funcione ad hoc todos os anos no último fim de semana de Junho.

    Pedia o favor da Vossa ajuda.
    O meu abraço fraterno que abranja todos os antigos alunos.

    Francisco Martins

    1. Thursday September 26th, 2013 at 11:17 AM

      Amigo Francisco Martins:
      Ter uma Associação informal de antigos alunos do Seminário, já é uma grande Graça. E é aí que começa tudo; é porque as pessoas se vinculam à amizade, à volta de companheiros e de uma casa especial. Éo reconhecimento de que essa casa, esses amigos e o contributo que deram para a vida de cada um, é muito importante. Por isso se juntam de forma espontânea e voluntária, sem qualquer outro motivo que os mobilize. Aí está o fundamento sólido e verdadeiramente importante de qualquer associação. Plasmar essa espontaneidade numa Associação “legalizada”, é colocar em cima do verdadeiro motivo da associação, também um querer efectivo e sobretudo responsabilidade. Isso acontecerá seguramente, porque o resto e mais importante já lá está. Certamente que um grupo de entre vós ha-de avançar para aí, e integrará todos. A UASP estimulará com certeza essa iniciativa (faz parte dos seus desígnios), e enquanto isso não acontecer, acolhelherá todos (não enquanto Associação, porque não existe formalmente), mas aos antigos alunos do seminário individualmente.
      Por isso, esperamos ansiosamente que alguns de entre vós tomem a iniciativa final da constituição de uma Associação, e a sua posterior filiação na UASP. Força amigos.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *