Loading...

Terça-feira, Novembro 29, 2022

Ecos da AAACarmelitas: Celebrando o Encontro do Sameiro

O enquadramento social não está fácil ou, melhor, a vida está difícil. Difícil pelo lado da economia, da paz e da saúde. Contudo a luz dos dias está intensa, o sol brilha e, aqui e além, aquece demais. Mas a Falperra estava verde, bem verde, e na zona da derivação da estrada nacional para a vereda que, nos idos de cinquenta e sessenta, nos conduzia nos vários passeios anuais rumo ao Bom Jesus, abundavam os fetos que indiciam a presença de água suficiente, como então, e aquele envolvimento induzia uma sensação de bem-estar, não só pela frescura mas também por uma miríade de recordações que não consegui deter.

Foi neste contexto que decorreu mais um dia de encontro de antigos alunos carmelitas, no Sameiro, onde a respectiva Associação tem a sede. E, diga-se, foi um encontro bonito, muito bonito mesmo e quente como o dia, sobretudo na cidade de Braga, como constatei no final da tarde.

Nem mesmo o percalço da avaria do forno a meio da assadura, que a competência e experiência das cozinheiras ultrapassaram, comprometeu a qualidade da refeição. Conseguiram mesmo apresentar-nos um repasto de excelente qualidade.

Não éramos muitos! Mesmo assim tiveram assento ao redor da mesa trinta e sete almas gratas pelas presenças mútuas e também pela vida que o seminário lhes proporcionou. Desses, vinte e três foram alunos carmelitas, o que reputamos de muito satisfatório face ao actual contexto social e económico.

Entre todos os comensais merece uma referência especial a Glória, melhor e dobrando a língua, a D. Glória que conta já com noventa e um anos! Não se lembram da D. Glória? É nem mais nem menos que a filha do caseiro que habitava na Casa do Guarda, mesmo ao lado do seminário da Falperra e que, como o pai, trabalhava para nós e, pasme-se, ainda recordava algumas caras!

Já agora que enveredei pelo passado, fiquei a saber já no final do encontro que a cozinheira mor que contratamos, está casada com o filho do nosso barbeiro, que por vezes acompanhava o pai nas suas lides pilosas e também ainda recordava algumas caras! Adiante.

Soubemos de vários antigos alunos que muito gostariam de ter estado, mas a doença, ou o receio da Covid, impediu-os. Para outros, foi o seu sentido de responsabilidade perante organizações diversas a que estão ligados, que os inibiu de marcarem presença, como o têm feito regularmente noutras ocasiões.

Também a economia dita as suas leis. O preço estabelecido para o almoço e o custo das deslocações certamente que pesaram na decisão de outros.

Globalmente, além de um encontro poder-se-á dizer que foi também um reencontro da associação consigo mesma! Dali saiu a promessa de esforços para a constituição de uma nova direcção, com gente mais nova. Oxalá a ideia frutifique que, pela minha parte e dos restantes elementos da direcção actual, estou certo, nunca estarão sozinhos podendo contar com a nossa experiência e ajuda no que necessitarem.

A todos agradecemos a presença, mesmo que apenas em espírito, na firme convicção de que ainda este ano haverá oportunidade de nova comunhão. Assim o contexto social o permita.

Américo Lino Vinhais

2 thoughts on “Ecos da AAACarmelitas: Celebrando o Encontro do Sameiro

  1. Olá, Vinhais. É bom ver a vitalidade dos mais antigos. Assim ela inspire a gente mais nova para a Direção. Parabéns.

  2. Olá, caros amigos e irmãos Carmelitas, saudações franciscanas de Paz e Bem. Dei comigo satisfeito ao ler esta crónica do Américo Vinhais por sentir que as Associadas da UASP ao promoverem, novamente, os “Encontros” anuais dos antigos alunos continuam vivas………
    Abraço amigo e fraterno
    Alfredo Monteiro

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *